Arquivo da tag: chula cristã

#7 A chula cristã de Boião

Nelson Mendes, conhecido por Boião, é mestre gritador de chula que vive em São Francisco do Conde. Como a maioria dos sambadores do Recôncavo, aprendeu a arte quando criança, observando os mais velhos. Trabalhou como pescador e embarcadiço no tempo do trânsito intenso de saveiros na Bahia de Todos os Santos, e por conta desse ofício conheceu várias cidades à beira-mar. Um samba em cada porto.

Entrou para a Assembléia de Deus para deixar de fumar e de beber. Deixou de sambar, por muitos anos. Vivia nos fundos da casa de seu cunhado, Zé de Lelinha, violeiro lendário que dominava como poucos a arte da viola machete. Não sambava, mas via o samba acontecer com o registro de patrimônio nacional e depois com o reconhecimento de obra prima da humanidade. Zé de Lelinha deu aulas de viola a Milton Primo, e Milton encontrou Boião no terreiro da casa do mestre.

Boião voltou a fazer chula quando saiu da Igreja. Procurou músicas na memória e encontrou mais de 300 chulas antigas. Algumas delas já não eram tocadas a muito tempo. A mente de Boião guarda um acervo raro de peças que constituem a base de uma memória social importante para o Recôncavo da Bahia. É o modo de viver dos embarcadiços que abasteciam a Cidade da Bahia dos bens que seus habitantes necessitavam. Essa atividade envolveu muitos grupos sociais em uma realidade viva e complexa, e o que Boião guarda é a produção poética (ou algo mais que isso) desses grupos.

Boião deixou a Igreja, mas não perdeu a fé. No início deste ano tive oportunidade de conhecê-lo e registrar algo de sua produção atual. Suas chulas agora falam de Deus e de Jesus. É interessante porque Boião mantém a chula em compasso com os momentos de sua vida. A linguagem pode ser utilizada para a criação de discursos diversos, o importante é matê-la viva e arejada.  Boião é um mestre que sabe o que faz, e faz o que quer.

Veja o vídeo abaixo:

Milton Primo, que no vídeo acima acompanha Boião na viola, fez um filme com algumas das chulas antigas gritadas por Boião. O título é “Ouça Meu Palavreado” e está dividido em três partes no canal do músico no You Tube, clique aqui para ser direcionado.

EM TEMPO…

A pareia de Boião é Zé de Paulo (voz e pandeiro), e a viola machete que os acompanha é tocada por Milton Primo. Eles vão se apresentar no Sesc Madureira, no Rio de Janeiro, dias 18 e 25 de setembro. Quem estiver na cidade maravilhosa, vale a pena!

Ps. Aos que acompanham este blog, peço desculpas por não atualizá-lo na frequência prometida. Motivos de força maior me impedem de fazê-lo, mas acho que no fim de setembro as coisas vão se normalizar.

6 Comentários

Arquivado em Uncategorized